Escalas de avaliação

Escalas de avaliação

As escalas são instrumentos que podem auxiliar:

  • no diagnóstico de atraso do desenvolvimento: e neste caso é muito importante sabermos a diferença entre diagnostico de atraso e diagnostico de alguma deficiência. O que a escala pode e deve identificar é se há atraso no desenvolvimento. O que os exames clínicos podem identificar é a deficiência.

 

  • no prognóstico: que seria uma provável linha de desenvolvimento esperada, não como fator limitante, mas como norteador de estimulação essencial.

 

  • e no acompanhamento de sua evolução: as escalas podem ser reaplicadas de tempos em tempos (a depender da idade da criança e do tipo de escala) com a finalidade de identificarmos grandes e pequenos avanços em sua performance.

 

Esses testes compartilham o empoderamento da avaliação de follow-up do zero aos 36 meses com os pais/responsáveis.

A avaliação feita pelo profissional da saúde, mas pode ser facilmente compreendida pelos cuidadores através das figuras que as ilustram e da sequência de posturas comuns aos bebês e seus responsáveis.

Ao longo da observação as mães têm o contato com as figuras e acabam por perceberem a evolução e a sequência esperada para a idade do bebê.

O conhecimento traz a segurança e a possibilidade de tornar as práticas maternas de cuidado, ou seja, as ações de atenção com o bebê, em momentos mais estimulantes, leves e lúdicos.

Com o uso dos brinquedos podem ser estimuladas atenção, concentração e memória, a coordenação dos movimentos, a interação pela resposta dos bebês e início da comunicação com os cuidadores, os conceitos de formas e cores, as estratégias de aprendizado, a força de preensão e empurro, deslocamento do peso do corpo… ou seja, uma riqueza de repertório de movimentação.

 

“O MOVIMENTO É UMA JANELA DO CÉREBRO”

O bebê que se movimenta bem tem uma grande chance de se desenvolver plenamente.

 

General Movements Assessment

Os movimentos generalizados (MG) espontâneos estão presentes desde o período pré-natal até aproximadamente 20 semanas de vida pós-natal.

Envolvendo, geralmente, o corpo como um todo, esses movimentos complexos estão frequentemente presentes tanto no estado de vigília quanto durante o sono, exibindo variações de padrão à medida que a criança cresce.

A presença, a qualidade e a intensidade dos MG espontâneos podem ser indicadores da integridade funcional do sistema nervoso central e periférico do recém-nascido e vários padrões de anormalidade em sua expressão estão relacionados a uma evolução neurológica insatisfatória, sugerindo que podem ser uma ferramenta importante no diagnóstico da lesão cerebral perinatal.

Nesse contexto, o método de Prechtl para avaliação qualitativa dos MG têm sido usado como ferramenta diagnóstica para a detecção precoce de disfunção cerebral.

A observação de um videoteipe dos movimentos generalizados de um recém-nascido permite que um observador treinado avalie a atividade motora, existindo um alto índice de concordância entre observadores. Para tanto este bebê deverá ser filmado por 5 minutos em cada uma das três primeiras etapas da avaliação.

O posicionamento do bebê deve ser de barriga para cima, vestido apenas com body e fralda, e com a câmera de vídeo ou celular posicionado acima do lactente por 5 minutos de filmagem.

Há uma validação do método reconhecida mundialmente para que seja utilizado em diferentes grupos populacionais. Confira.

TIMP

O TIMP (Test of Infant Motor Performance) é um teste da postura e do movimento, desenvolvido para uso de profissionais da saúde com conhecimento do desenvolvimento motor e experiência em examinar e intervir em bebê pré-termo e a termo de alto risco.

 

O teste é apropriado para o uso em berçários e unidades de cuidados especiais, clínicas de acompanhamento e programas de intervenção precoce e reabilitação.

A versão 5 do TIMP, mais recente, é composta por 42 itens que avaliam o desenvolvimento do controle de cabeça, tronco e controle seletivo dos membros superiores e inferiores ao longo do período de 34 semanas pós concepcional até os 4 meses de idade corrigida.

A escala é dividida em itens observados e eliciados, sendo 13 os itens observados, dicotomizados (resposta presente ou ausente), e 29 itens eliciados pontuados numa escala que varia de 4 a 7 níveis. Os itens do TIMP fornecem uma alta precisão ao medir o desenvolvimento motor até o início do sentar independente e do rolar.

O TIMP apresenta vários artigos em que foram analisadas suas propriedades psicométricas, o que garante que esta escala demonstre confiabilidade para discriminar crianças com riscos para diferentes tipos de comprometimentos motores. A confiabilidade teste-reteste foi comprovada em todos os níveis de idade que o TIMP abrange (r=0,89).

Os escores do TIMP são capazes de discriminar entre lactentes de diferentes idades e com diferentes níveis de complicações médicas. Além disso, os itens que compõem o teste são considerados como representativos das demandas ambientais vivenciadas pelos lactentes a termo e pré-termo ao longo dos quatro primeiros meses de idade, o que fornece ao teste relevância ecológica.

O TIMP apresenta uma tabela que traz os valores que a escala considera de desempenho típico e abaixo da média, em termos do desempenho do escore bruto (pontuação total) nas diferentes idades nas quais o TIMP pode ser usado. Esta tabela pode ser usada para determinar quão bem um lactente testado se desempenha em relação à amostra descrita na mesma faixa etária.

A escala de avaliação ainda não foi validada para a população brasileira, mas existe um processo em andamento para que ocorra nos próximos meses (comunicação feita pela autora via email).

AIMS

A Alberta Infant Motor Scale (AIMS) tem como objetivo avaliar o desenvolvimento motor amplo ao longo do tempo dos recém-nascidos a termo e dos pré-termo de 0 a 18 meses de idade, identificando assim um desempenho motor que esteja atrasado ou atípico em relação ao grupo normativo.

A AIMS é uma medida observacional da performance motora infantil que aborda conceitos do desenvolvimento motor, como maturação do sistema nervoso central, perspectiva da dinâmica motora e avaliação da sequência do desenvolvimento motor.

É constituída de 58 itens, os quais avaliam os padrões motores e posturas usando-se os critérios: alinhamento postural, movimentos antigravitacionais e superfície de contato (sustentação de peso).

As subescalas são determinadas por posturas prona, supina, sentada e em pé. Quanto as propriedades psicométricas, a AIMS apresenta alta confiabilidade interobservadores (0,96-0,99) e de teste-reteste (0,86-0,99), a sensibilidade varia de 77,3 a 86,4% aos 4 meses e especificidade é de 65,5% aos 8 meses.

A Alberta Infant Motor Scale (Alberta), de avaliação observacional, construída por dois fisioterapeutas canadenses: Piper e Darrah, em 1994, avalia o

desenvolvimento motor grosso de lactentes desde o nascimento até os 18 meses de vida. Dentre seus objetivos estão: (1) identificar restrição do desenvolvimento neuromotor dos lactentes; (2) informar aos pais sobre as atividades motoras que o lactente realiza, que não realiza e aquelas que estão se desenvolvendo; (3) analisar o desenvolvimento motor em determinado tempo ou pré e pós internação; (4) mensurar mudanças no desenvolvimento motor bastante pequenas que não podem ser identificadas por métodos mais tradicionais; (5) agir como instrumento de pesquisa para identificar eficácia em programas de estimulação para lactentes com distúrbios motores.

Apresenta validação para população rio-grandense feita pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

 

PEDI

Esse instrumento de avaliação tem como característica principal coletar informações a respeito da capacidade e desempenho em três áreas de atividades: habilidades funcionais (consiste em aquisições da criança nas áreas de autocuidado, mobilidade e função social), assistência do cuidador (são repetidas as subáreas citadas anteriormente, mas avalia o quanto de ajuda a criança recebe do cuidador para realizar a atividade) e modificações (corresponde às adaptações necessárias para que a crianças realize as atividades, por exemplo uso de órteses, próteses ou outro tipo de adaptação no ambiente sendo específica para criança com deficiência ou modificação geral para qualquer criança, por exemplo o uso de engrossador na colher para criança com deficiência e o uso de redutor de vaso para qualquer criança).

Para a averiguação das habilidades funcionais, são avaliadas 73 atividades de autocuidado, 59 de mobilidade e 65 de função social, perfazendo um total de 197 atividades nas quais cada paciente é considerado capaz, pontuando 1, ou incapaz, não pontuando.

Para a determinação da necessidade de assistência por parte do cuidador, são consideradas oito subáreas do autocuidado, sete da mobilidade e cinco da função social, sendo o grau de dependência caracterizado como sendo total (pontuação = 0, a criança não participa ou antecipa a atividade), máximo (1, a criança reconhece o ambiente e mostra que identifica a situação), moderado (2, participa com alguma vocalização ou movimentação), mínimo (3, realiza movimentação com auxílio em pontos chave, por exemplo), necessita apenas supervisão (4, é necessário que tenha algum cuidador presente que o relembre de alguns passos na tarefa, por exemplo) e é independente (5, realiza sem a necessidade da atividade ser refeita por um adulto).

Após a aplicação do questionário obtém-se 2 escores: bruto e normativo. O escore bruto (EB) indica o número que a criança pontuou nas perguntas respondidas pelos cuidadores. Já, o escore normativo (EN) indica o escore atingido quando comparadas às crianças de mesma faixa etária com desenvolvimento normal, e deve apresentar-se entre 30 e 70. Aquelas que apresentaram escore inferior a 30 ilustram atraso ou desenvolvimento significativamente inferior ao demonstrado por crianças de mesma faixa etária.7 O P.E.DI. oferece ainda o escore contínuo que corresponde à pontuação de cada paciente comparada a um grupo de crianças de até 7 anos de idade.

O inventario tem validação para população brasileira realizada pela Dra. Marisa Cotta Mancini da Universidade Federal de Minas Gerais.