Sistemas de Classificação na Paralisia Cerebral

Sistemas de Classificação na Paralisia Cerebral

Tradicionalmente, a classificação da PC costumava se basear na topografia (diplegia, quadriplegia, hemiplegia etc) e tipo motor (espástica, hipotônica, atáxica, discinética, mista etc), enquanto que para descrever  a severidade do comprometimento motor eram utilizados termos subjetivos como leve, moderado e grave. No entanto, como esses termos são imprecisos e pouco descrevem o que o indivíduo é capaz de fazer de forma funcional, novos sistemas de classificação vem sendo criados, utilizando graduações (no geral, de 1 a 5 níveis), para melhor descrever as capacidades funcionais dos indivíduos com PC, permitindo que profissionais que assistem aos indivíduos tenham mais clareza para discutir entre si e com as famílias e assim desenvolver as melhores estratégias para aumentar a participação de indivíduos com PC, bem como planejar o futuro e as demandas de equipamentos de tecnologia assistiva e adaptações ambientais necessárias.

Esses sistemas abordam os níveis de atividade e participação de acordo com a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Abaixo temos uma lista com os três principais sistemas de classificação na PC, para saber mais e ter acesso as versões completas em português, clique em cada um deles.

GMFCS – Função motora grossa

MACS – Habilidade manual

CFCS – Comunicação